7 de novembro de 2011

Desistindo de (tentar) ser cool

Nos primórdios da minha adolescência (faz tempo hein), as meninas queriam ser descoladas. Eu por minha vez, era exatamente o oposto de uma adolescente cool. Eu usava as calças da minha irmã (meu manequin era 36 e o dela 42, imaginem), com um cinto de couro falso horrível, e para arrematar amarrava aquele casaquinho de lã (da vovó) na cintura (sim, não queria ninguém olhando minha bunda, ou a falta dela). Até os 17 anos eu me recusava a usar sutiã (jurava que não tinha peitos e não precisava) e ia pro colégio com uma blusa pólo (tamanho G) me engolindo, tênis olympikus tamanho 39 (hoje em dia a moda é Nike), calça da mana e casaquinho da vovó na cintura, sempre (não é de se estranhar o fato de nunca só ter beijado na boca aos 17 anos, Bruno saved me).
Eu era magérrima. Daquelas meninas que cresceram ouvindo: cuidado com o vento senão você vai voar, ou se você preferir: Olha a Olívia palito. Entonces conseguir a popularidade no 2° grau era algo inatingível.
Todas as meninas populares e descoladas da minha sala, sempre andavam de saia (e quanto mais curta melhor), enquanto eu parecia uma cópia do meu pai (no jeito de vestir).

9 anos (3 números de manequim e 15 Kg a mais) me separam da garota magra e pálida do colegial (OK, eu continuo pálida). Em toda a minha vida, se usei saia umas duas ou tres vezes foi muito. Vestido então, vixe, só no meu casamento, no casamento da minha mana (que fui madrinha), na gravidez e algumas outras festividades. Mostrar minhas pernas finas e brancas me dá pavor. Eu tenho um certo trauma com saias desde os 20 anos, quando trabalhava. Um belo dia resolvi comprar uma saia jeans (super descolada) e apareci no trabalho com as pernas de garça, de fora. Meus colegas que não podiam perder uma piada, começaram a falar que minha perna era fluorescente. Pronto, estava feito o estrago, eu decidi daquele dia em diante, nunca mais usar uma saia.
E vivi muito bem usando calças o tempo todo. Eu adoro o conforto do jeans. Posso subir escadas sem me preocupar se algum pervertido está espiando por baixo, e posso cruzar as pernas sem medo de parecer a Paris Hilton mostrando a calcinha. E claro, mantenho as pessoas longe da cor fluorescente das minhas pernas pálidas (meus colegas diziam que a claridade poderia cegar).

Mas ontem tudo mudou. Eu decidi sair do enclausuramento diário que eu e Bryan vivemos, para passear um pouquinho na rua e ele poder andar em seu carrinho com mais liberdade. Até ai tudo bem, um típico retrato da família brasileira, se... se não fosse eu ter tido a péssima ideia de usar uma saia, 9 anos depois do fatídico dia na loja. Peguei minha saia de jeans (a única que eu tenho) e sai na rua me sentindo a mãe mais cool do universo.
No começo foi fácil, era só ficar sentada de ladinho (para não correr o risco de aparecer nada) e observar o pimpolho andar no carro. A saia não era muito curta, mas como as minhas pernas são enormes, tudo o que eu visto fica parecendo curto (a menos que eu use uma saia nos pés ou no joelho) Mas como a lei de murphy me persegue, meu filho tinha que cair, justo no dia em que eu resolvo utilizar uma saia. . E ele me cai bem no vão que tem entre o espaço onde ele senta e os pedais do carro. E ficou lá com aquela carinha de: - Mãe, o que você está esperando para me salvar?
Eu não podia esperar ele se levantar, então decidi salvar meu filho, com a mão na parte de trás da saia (para não aparecer nada) e tentando levantá-lo com uma mão só. Pensem no desastre. Por fim, desisti de tentar proteger a retaguarda (nessa hora eu dei graças a Deus por usar calcinhas de vovó), e levantei o Bryan com as duas mãos, e logo olhando para trás, para me certificar que nenhum maníaco ficou observando.
Para meu alívio, ninguém viu a cena (ainda bem) e eu voltei imediatamente para casa, me livrando da saia, e colocando o meu bom e velho (e super confortável) jeans.

Se ser cool significa usar uma saia, eu definitivamente desisto. Acho que o mais perto de cool que eu já cheguei foi usar all star cano alto com bermuda e platinar o cabelo (bons tempos aqueles).
Acho que o fato de ter um filho já me torna cool (ou assim eu prefiro acreditar) e daqui pra frente viva a calça de moleton para passear com o filho pelo bairro.

Bjos

17 comentários:

Ana Campos disse...

Ri muito imaginando a cena de vc tentando proteger a retaguarda e acudindo a cria...rsrs..

ser cool é se sentir bem...

bjs e até

Suzana Lira disse...

Foi engraçadíssimo imaginar vc tentando tirar o Bryan do carrinho com uma mão só e preocupada com a retaguarda hehehe...

Porém indo para o assunto ser cool, eu amo moda, mais acho que ser cool é estar bem vestida e se sentir bem.

Acho que vc seguir padrões da sociedade é modismo, ser cool é estar bonita e livre.

Então vc está super cool, vai nessa rsrs.


Bjo

Dina Ulbrich disse...

Amiga seus posts erstão cada dia mais hilários.

Eu amo usar vestidos, a minha dica? Shorts por baixo. Rá. Minha coxas são grossas então se eu não usar shorts fico assada rs, então já mato dois coelhos numa cachadada só rs.

Mas nos passeios com a cria, aquele que são pra brincar eu prefiro a velha e confortavel calça. Jeans, leging, agasalho não importa.

- Anine Pinheiro - disse...

Jacqueee, té q enfim te achei de novo!!! rsrsrs

Fiquei imaginando a cena, hilária, rsrsrs

Salto e vestido=só acompanhada pelo marido, rsrs!!!

Beijos e beijos!
tava com saudades

Di disse...

E por cenas como essa que eu, que tambem não sou adepta de saias e vestidos, a não ser os que vão ate o pé, e olhe la, continuo não usando saias!
Não tem jeito, murphy ataca e claro que no dia que voce sai de saia, tem que abaixar pra acudir o filho acidentado!
Bjs flor, to contigo e não abro!

Ivna Pinna disse...

hhahahahahaha
Não tem como não rir te imaginando na cena!
Eu sou ao contrário, sempre fui muito de usar saia, só os vestidos que passei a usar só depois da gravidez! Não usava pq sempre fui meio gordinha e me sentia com aquelas roupinhas que o povo usa pra esconder o bujão de gás! hahahahaha
Mas até isso mudou em mim depois da gravidez! Hj uso numa boa e tenho vários vestidos! Mas se eu te disser que hj não tenho uma calça jeans, acredita? Pois pode acreditar!

E amiga, eu nem consigo te imaginar com essas roupitchas de pai, irmã e avó! hahahah

Ahh vou conhecer o blog literário, me interessei na hora!
E qnto ao Stieg, dizem que ele deixou até o sexto livro pronto, mas parece que a mulher dele tá querendo assumir que os livros são de autoria dela. Caso ela lance, vai ser fácil a gente saber, pq escrever com aquele estilo é bem difícil!

Beijão

Dayane disse...

Hahahaha Imagino a cena! hehehe
Eu também não sou fã de saia e vestido, uso so mente pra ir a Igreja, e só na altura do joelho. Detesto roupa desconfortável, sou adepta do jeans e tenis e camiseta.
Beijos

Angi disse...

hahaha
tô a horas com teu post aberto aqui,mas tava difícil de ler inteiro!
ADOREI!
Eu vou te falar que é por essas que saia só quando saio sem Antônio, se não, pago calcinha!rs
Imaginei a cena e ri, a ideia da Dina de colocar um short é boa!
E a calça de moletom é melhor ainda!rs
Beijos gatona
Boa semana!

Di disse...

Ai Jaque, respondendo seu comentario la no blog... Yakult ajuda sim! ja testei aqui, mas acabei parando de dar. Yogurtes no geral, não necessariamente activia, tambem são otimos!
Vou comprar alguns (a beca gosta daquele da ninho soleil) agora que ja recebi o salario do mes rsrs
Isso me lembra seu post mais antigo, e te digo que sim., e legal voltar a trabalhar (pelo menos pra mim, apesar das dificuldades, tem tido o saldo positivo). Pensa bem a respeito...
bjs
Di

Mamãe Cláudia disse...

O situãção.... risos...
Somos duas pálidas que não usam saias.. risos...
bjs

Patricia Charleaux disse...

Amiga seja vc mesma , vc é linda, vejo pelas fotos , ahhh se eu tivessse esse corpinho!!!Agradece a Deus viu!!Bjs

Futura mãmã disse...

Eu nao sei porque nao ganho actualizaçoes de seu blog..voce nao me ta seguindo???
E' eu tambem sou cool mas ao jeito de jeans e tenis ou botas ehehe

Beijoo

Pâmella disse...

Adoroooo teus posts Jacque!! kkkk....
Eu to bem igual a vc viu, com essas pernas enormes de vara de cutucar estrela passo longe de saia, e vestido só se for longo pra ser madrinha de casamento... kkkk... morro de vergonha das minhas pernas de saracura!!

Fiquei rindo alto aqui imaginando a cena...

Beijos amiga!!

mandy chaves disse...

uahuhauha somos duas kkkkkkkkkk eu nao tenho nenhuma saia, e alguns vestidos enfeitando meu guarda-roupas...eu tenho as pernas grossas e assa tudo, sem contar q eu acho lindo nos outros mais em mim fica horrivel!!!

bjosss

Mamãe da Alice disse...

Nossa eu não me inspirei ngm pro nome da Alice só veio na mina cabeça e comecei a chamar ela, ainda bem que labém não pensei em nome de sabonete...rsrsrs
Adorei seu relato no minha mãe que disse, também me senti da mesma maneira no começo ainda bem que passa e que o amor verdadeiro vence a tristeza e a fraqueza que sentimos no começo... beijinhos

Renata disse...

Eu era moleque no jeio de me vestir na adolescência. Nem sei como arrumei namorado, rs. Melhorei, mas nunca fui muito mulherzinha, fico no básico. e ODEIO saia. já tentei usar, por insistência do marido, mas não dá, não é pra mim, não me sinto bem, parece que tô andando pelada. Sem contar que gosto da liberdade de movimentos que uma calça ou bermuda dá (se derrubo algo no chão, eu mesmo abaixo pra pegar, sem frescura! imagina algo assim de saia?) Com filho então, eu nem SONHO em botar saia. Meu negócio é sentar no chão, cruzar as pernas à vontade, e não ficar num cantinho quieta pra não mostrar calcinha e sei lá o que mais... se não quero mostrar, não uso saia né? rs!
Ah, adorei seu post no MMqD, ficou ótimo e emocionante!
Beijos!

disse...

eu adotei as bermudas jeans no calor, saia não dá neh? ficar correndo e abaixando o tempo todo rsss

Contando...

 

Blog Template by BloggerCandy.com