11 de maio de 2011

As marcas do amor- Blogagem coletiva


Eu sabia que a vida mudaria e muito após ter um filho, mas eu não imaginava que essa mudança me faria tão bem.
Confesso que só fui curtir a "maternidade" propriamente dita quando Bryan completou 2 meses.
No começo toda insegurança, medo do desconhecido e as muitas mudanças que aconteceram com meu corpo me deixaram muito triste, deprimida e ainda tive um baby blues fortissimo que só foi passar mesmo quando meu filho parou de sofrer com as cólicas.

As mudanças ocorreram na gravidez, sempre fui muito magra, e quando era adolescente morria de vergonha da minha magreza e da minha barriga chapada (quem diria que eu ia querer tê-la de volta), tanto que eu nunca usava saia, e tomava remédios para engordar. Na gravidez ganhei 23Kg, me sentia linda no inicio, pois eu engordei em partes estratégicas: bumbum, braço e coxa. Mas no pós parto após a amamentação, quando perdi todos kilos adquiridos, o que ficou foi a linda barriguinha de 2 meses de gravidez ,que parece que nunca vou me livrar dela.
Em partes não me senti muito mal pela barriga grande, e sim pela falta de cuidado geral. Eu não curtia me olhar no espelho pois lá estavam (estão) as terriveis estrias (que eu não havia visto na gravidez porque fica bem na parte baixa da barriga), pequenas sim, quase imperceptiveis, mas ainda assim estão lá, e pensar que eu poderia ter evitado tudo regulando minha alimentação, cortando alguns péssimos hábitos e controlando o peso.

Fora isso a falta de vontade de me cuidar após a gravidez, sempre me desanimou. Eu nunca fui de andar maquiada, e como meus cabelos são lisos eu sempre passei reto de salão de beleza, no máximo ia pra fazer sobrancelha, buço e olhe lá, achava um desperdicio gastar 20 reais fazendo unha,porque ao chegar em casa eu teria que lavar louça e o meu rico dinheirinho ia todo pro ralo. Mas hoje avaliando bem tem cuidados que eu vejo que faz falta, principalmente quando o assunto é cabelo, as vezes eu fico dois dias sem lavar (miss pig), pois fico o dia inteiro a disposição do Bryan e quando vou tomar banho já são 21:00 e nem a pau o cabelão de 90cm seca até a hora de dormir.

Tem também o comidismo, eu mesma já sou acostumada com o corte de cabelo que uso a 3 anos (ou seria a falta de corte? porque ele está reto e só viu a tesoura da minha mãe pra aparar 2 dedinhos ano passado), com as minhas boas e velhas roupas, em falar nisso , a última vez que comprei roupas foi quando estava grávida, e mesmo assim só comprei porque as que tinha não me serviam mais, e hoje quando olho algum objeto de desejo na vitrine, converto em quantas latas de leite poderia comprar com aquele dinheiro (não só com roupas, e sim sapatos, produtos de beleza, e ontem mesmo fiquei na dúvida se comprava um creme de hidratação que custaria umas 3 latas de leite ninho, óbvio que não comprei).

Eu não me importo se ando mal vestida (basicamente saio de calça, blusa poló e havaianas, sempre), o que eu me importo é se meu filho está bem vestido, bem alimentado, bem cuidado.No começo eu queria voltar logo a vida social, ao trabalho, para poder ganhar meu dinheiro e comprar alguns luxinhos, brinquedos pro Bryan, roupas de marca, mas abdiquei disso para acompanhar o crescimento e desenvolvimento dele e não me arrependo de ter escolhido ser mãe 24h, claro que um dia quero retornar ao mercado de trabalho, ter meu dinheirinho, mas por enquanto prefiro cuidar de casa, do Bryan.

No começo da gravidez eu achava que o comodismo seria uma situação reversivel, que logo após o pós- parto eu passaria a me cuidar mais, me arrumar, nem que fosse passar um batonzinho para sair, mas agora 1 ano após me tornar mãe vejo que a maternidade me mudou por completo. Nos primeiros meses a maior dificuldade era o trancafiamento dentro do quarto, não ter tempo nem de ir ao banheiro, deixar de tomar banho com medo que a cria chorasse querendo mamar, aos pouquinhos tudo foi se ajeitando, Bryan passou a mamar mamadeira e assim eu podia sair e deixá-lo com alguém, depois ele foi interagindo mais conosco e os passeios sempre o incluiam, após as primeiras vacinas eu já tinha mais coragem de levá-lo nos passeios, e me fazia um bem danado poder sair de casa, respirar um ar puro que não fosse do meu quarto todo fechado. O corpo foi voltando ao normal, só na 1° semana de amamentação foram 10Kg perdidos, e as calças 46 que eu usava na gravidez foram ficando largas, e eu já entrava nas 42 de antes (meu sonho mesmo é voltar ao manequim 40),a rotina foi se ajustando e hoje digo que voltei 90% a ser o que era antes de engravdar, só faltam os 10% que correspondem a emprego,mas procuro não me preocupar com isso, pois sei que quando chegar o dia de ter que ir trabalhar e deixá-lo vou sofre muito,independente da idade que ele tiver,já que estou muito acostumada a ficar meu dia inteirinho com ele!

Apesar de todas mudanças, digo que a maternidade me fez um bem danado,me mostrou lados que eu não conhecia,me deu motivos para viver 1 dia após o outro sem reclamar da vida, pois tenho o sorriso do meu filho e isso não tem preço!

Essa blogagem foi ideia da Débora do blog O mundo de Vicente,dá uma passada lá e confira os blogs que também estão participando!

12 comentários:

* SOL * disse...

Oie, é realmente ser mãe por tempo integral é ter que abrir mão de muitas coisas, eu tambem prefiro ficar como Vinícius a ir trabalhar, mais como sempre fui vaidosa sempre arrumo um tempinho a mais pra me arrumar faz bem pra gente apesar da correria arrumar um tempinho pra ficarmos mais bonitinha, afinal o papai tambem merece nos ver bem!É gratificante poder acompanhar de pertinho cada evolução de nossos pequeninos! Bjus rsrsrs!!!

Sandra Hellen disse...

Amor de mãe é intenso mesmo!!! Nem tem como explicar!!! Muda tudo...

Beijos

francieleGalantine disse...

Amiga eu parei de trabalhar assim que engravidei do meu anjinho a 1 ano e 5 meses atrás, mas depois que ele foi embora como eu e meu marido não desistimos de ter um filho eu e ele conversamos e ele me pediu para me dedicar por completo a futura gestação, hoje estou aqui, cuidando da Florzinha dentro do forninho e não me arrependo, e só volto a trabalhar depois que minha flor completar 3 aninhos, e ainda ttenho a sorte de contar com a pensão que meu pai me deixou e meu marido que me dá tudo que quero...beijocas

Thais Bessa disse...

Pra manter a vaidade depois que o baby nasce é um esforço mesmo. Mas a medida que vai crescendo a gente vai conseguindo respirar um pouco e melhorando. Mas acho que a gente nunca volta a ser a mesma, fisica e psicologicamente. E quer saber, nem quero! E todos os pais passam por isso de não comprar coisa pra si em prol do filho. Dias desses foi aniversário do Ben e ele pediu de presente pros pais dele dinheiro pra comprar umas roupas novas. Aí ele foi às compras e me volta com mais roupa pra Bebella que pra ele, eu quase bati nele, rs, porque ele estava precisando muito mais que ela!

Ah, sobre voltar ao trabalho, como vc quer outro logo (ou já está grávida!) não vale a pena, eu acho. Melhor cuidar dos dois e aí sim, pensar em voltar, Bryan já vai estar na escola e tal.

Bjos

Um presente para nós dois disse...

Ahhhhh flor, que coisa engraçada seu post pq essa semana uma amiga viu minha foto e disse"Nossa vc está cheia de estrias na barriga, na gravidez do João vc não teve nada disso", é verdade, eu realmente não tive, mas de verdade, tô me importando bem pouco, eu quero mais é curtir a gravidez e a chegada da minha princesa que está bem pertinho...rsrsrsr, se futuramente eu me sentir triste por ter estrias junto uma grana durante um bom tempo...rsrsrsrs e faço uma plástica.
Bjs

Mon Maternité disse...

Jacqueline ... ganhei meu primeiro selinho e gostaria de dividi-lo com você! Passa no meu blog e pegue-o!

Beijos,
Marcella
www.monmaternite.blogspot.com

Ana Claudia de Moura Becker disse...

Jaque, q relato! Sincero e bonito! Tb quero participar so nao sei se vai dar tempo de escrever o texto.
bjao linda

Nave Mamãe disse...

Ontem ainda minha mãe disse pra comprar uma sapatilha e disse que não tinha dinheiro. "como não?!" ela quis saber...
Mas é só olhar pro meu filho sempre mega fashion pra saber onde eu invisto meus milhões! kkkkkk
Pior que o filho estar bonito fica 10 vezes mais importante que nós mesmas né?!
Beijos

Taly Watanabe disse...

Jaque...que lindo..linda a forma que vc fala da maternidade..lindo tudo..rs

Ai Jaque vc tem q ir conhecer o Cinematerna...se cadastre no site deles e sugere eles fazerem no shopping perto da sua casa...sei q qdo é inauguração em algum shopping os ingressos são de graça...ou em dia das mães como esse que nós fomos, mas nas demais situações é só R$16,00 o ingresso...

O Bryan está cada dia mais lindo...e que espetáculo as fotos que vcs tiraram hein? ameei

Haa e feliz dia das mães atrasado
bjinhuus

Dea, a mamae da Nina disse...

belo desabafo amiga, so quem passa p saber. Alem d tudo isso ainda temos q ser esposas e o maridao tb quer atençao né.
O meu é super companheiro mas rolava um ciuminho da pequena mesmo q disfarçado.
A gente vira um trapo.......Mas olha toma coragem e da uma repaginada, eu fiz isso qdo Nina tava c 6 meses em abril do ano passado, tosei a cabeleira e escureci, tava loira d luzes entao imagina a diferença.
Ate salto eu usei em algumas ocasioes e deixei de lado a bolsa rosa da Nina e punha a tralha toda dela em bolsa minha mesma, das grandes!!!
A gente fica muito p/ tras em prol dos filhos e nao podemos nos abater!!!
Moro no recreio sei q é longe p vc ma podiamos marcar hein.....To d carro, nao tenho la muita pratica mas quem sabe a gente nao marca um meio d caminho p bater um papo e apresentar as crianças??
qto ao texto q postei e ao seu comentario me pus na sua situaçao e olha meus parabens, sem papai do lado e nenhum acompanhante pos parto vc é um exemplo a ser seguido.
Vamos ver se a gente marca hein......Bjs bjs bjs e olha se vier o 2o baby mesmo força na peruca hein....

Débora Beyer disse...

Oba!! Que bom que vc tbm participou!!

Fiquei muito feliz em saber que vc conseguiu dar uma jeito nas artes pra imprimir, eu estava preocupada!

Sobre o post, eu já me peguei muitas vezes convertendo valores de roupas em fraldas e leite, hahahahah. Não tem como evitar.
É muuuito difícil comprar algo pra mim, sinto uma culpa enorme mesmo sabendo que compro só o que preciso.

Menina, eu tbm tô ficando doidjeeenha com a festinha. Nervosismo só!

Que tudo dê certo pra gente! ehheh

Beijo

Ana Claudia de Moura Becker disse...

Jaque, acho q aconteceu contigo tb. A atualização bizarra do blogger sumiu com meu ultimo post. Entrei aqui no seu blog e vi o vídeo lindo lindo que vc fez...chorei de emoção: muito bem feito e bonito. Voltando ao assunto, entrei aqui mas o blogger nao deixou eu postar comentario. Aí,hoje, eu entrei no meu blog e vi q eles tiraram meu ultimo post snif snif...fala sério né!!!
Enfim, sumiu o post e o comentario lindo q vc fez. Muito obrigada pelos elogios. Graças a Deus estou sendo forte e sábia para cuidar do Erik e ser boa mae. Mas, como nem tudo é perfeito, minha relação com o marido está delicada, ou melhor, desgastada. Haja paciencia. Espero que no fim tudo de certo.
bjao linda e bora pra tua festa. Estou torcendo para tudo ser como vc sonhou e se esforçou.

Contando...

 

Blog Template by BloggerCandy.com