27 de setembro de 2012

A louca do parto normal - parte I

O parto normal sempre foi minha escolha, desde a gravidez do Bryan. Eu vivia pedindo para a minha mãe recontar os 3 partos (bem sucedidos) que teve, e procurava ler sobre o assunto todos os dias. Nunca tive medo da dor. Eu sofro com cólicas terríveis desde os 17 anos, e como minha mãe sempre disse que as contrações, nada mais são do que cólicas hiper fortes, eu pensava que se fosse assim seria moleza.
Mas o primeiro filho a gente acaba se apavorando com tudo. E os pensamentos que mais passavam pela minha cabeça na última semana eram: E se eu não dilatar? e se não conseguir/saber fazer força, e o bebê ficar entalado? e se não conseguir suportar a dor? e se na hora eu desmaiar? e se...e se... O medo dominava a razão.
Fui para uma consulta em um hospital do SUS, pensando no pior. E tudo piorou quando o médico falou que eu tinha 1cm de dilatação,e que meu colo estava fechado e alto, longe de acontecer um trabalho de parto. Eu estava com 39 semanas (40 semanas pela última ultra). Falou para que eu voltasse quando estivesse em TP, e mesmo que não entrasse era para voltar na semana que vem.
A semana passou tranquilamente. Eu fazia de tudo para dilatar. No mesmo dia do terrível toque, quando cheguei em casa saiu uma gosma vermelha. Fiquei toda esperançosa, chorando e falando pro marido que era o tampão, e que naquela noite mesmo eu entraria em TP. Mas o sangue não era o famoso tampão.
Um dia antes de voltar ao hospital fui tirar as fotos do convite, para a formatura da faculdade. Andei horrores, fiquei em pé um bom tempo, me estressei, e nada do Bryan mostrar sinais de que queria conhecer o mundo fora do útero.
Na mesma manhã que fui pro hospital, comecei a sentir dores. Para o nível de dores que eu sentia por causa da minha cólica, eu estava tranquilinha e pensava que seria moleza.
O médico novamente fez o toque e disse: nada de evolução. Você continua com 1cm, colo grosso e alto. E me jogou um balde de água fria, dizendo que as contrações que eu estava sentindo não iriam dilatar em nada. Disse que o melhor a fazer seria uma cesárea. Não monitorou meu bebê, não quis induzir o parto.
Simples assim, me olhou e pediu para que eu fosse a recepção preencher os papéis da internação.
Eu e marido ficamos um bom tempo lá fora pensando. Eu sentia contrações cada vez mais doloridas, não era possível que aquilo não fosse TP. Mas resignada, com medo, pavor, e mais um monte de coisa, eu decidi preencher tudo. E fui pra faca...

Antes mesmo de engravidar da Isabela, eu já tinha todo meu plano de parto na cabeça. A princípio eu queria uma doula me acompanhando, mas fui surpreendida pela decisão do Cremerj, de que doulas não seriam permitidas para acompanhamento da gestante no hospital. Mesmo assim não desisti do meu VBAC. Leio o tempo todo relatos de parto normal após cesárea, mesmo os que não são bem sucedidos. Leio esperançosa os relatos emocionantes de quem conseguiu fazer prevalecer a sua vontade.
Confesso que tenho um medinho da tão falada ruptura uterina, mas não deixo que isso me desencoraje.O lado bom de parir pelo SUS, é que eu não tenho nenhum ginecologista cesarista, falando no meu ouvido sobre os riscos (que eu já estou ciente de todos), e nem querendo me empurrar uma segunda cesárea.
A enfermeira do postinho, onde eu tenho minhas consultas, apóia fortemente a minha decisão, e acho que este foi o primeiro passo para seguir firme na minha decisão.
Marido fica meio perdido quando falo de TP, dilatação, soro e etc. Ele brinca dizendo que na primeira dorzinha eu vou implorar pela cesárea (ha ha pra ele). Já conversei que preciso do apoio dele, afinal, o hospital onde (provavelmente) Isabela irá nascer, permite o acompanhamento do pai, e tem uma equipe preparada para o parto humanizado.
A anestesia não é feita pelo SUS, e achei até melhor assim. Antes eu achava que a anestesia era apenas uma forma de aliviar as dores da mãe, e fazer com que o processo final do expulsivo fosse menos cansativo. Mas lendo os relatos, vi que a anestesia "tira" um pouco a sensibilidade da mulher. A maioria relata que não sente quando as contrações vem, logo, precisam ser avisadas pelos seus médicos, que está na hora de fazer força. O que me desanimou mesmo, foi ouvir um relato, onde a mãe dizia que não sentiu o filho sair, apenas teve a sensação de que ele estava escorregando. Pra ser assim, seria o mesmo que ter uma cesárea. Nada contra a anestesia. Mas não sentir nada, já basta a cesárea do Bryan.
Dessa vez quero sentir tudo.
Quando comento minha decisão com as mães no dia da consulta, sou chamada de louca. Até mesmo pelas mães que tiveram PN. Na minha família todo mundo apóia minha escolha.
Só de ter direito pela escolha já me sinto bem, mais leve.
Medos? sim, ainda tenho vários, e vou comentar sobre eles em um próximo post.

13 comentários:

A Mamãe em formação: disse...

Eu quero PN! Penso na dor, mas vejo minha vó que teve 7 filhos de parto normal e não morreu de dor!
Penso que nosso corpo foi feito para então.. Pq não deixar td acontecer naturalmente?!

=)

Dina Ulbrich disse...

Eu sou super a favor de um PN, mas o único médico aqui de Curitiba que faz VBAC cobra uma bagatela de R$3.000,00 + anestesista + instrumentador.

Eu ainda ñ pensei nisso, tô bem mais tranquila em relação ao parto agora do que na gestação do Fe.

Se eu entrar em TP tudo pode acontecer... ainda ñ encontrei o médico pro meu pré natal, então vou esperar, vai que encontro um que ñ me cobre as calcinhas e me apoie num PN. Oremos.

Boa sorte pra vcs!

Grauce disse...

Realmente, se você tá acostumada com fortes cólicas, não vai se espantar muito com as contrações. Também sinto cólicas fortes e não achei que a dor de parir fosse o bicho de 7 cabeças que me passaram.

Outra coisa que me ajudou muito foi ter muita informação. Ouvi muitas dicas, muitas histórias. ME falavam pra não gritar e que a força de "expulsão" é a mesma de fazer cocô. E isso é fato, não esquece: força de fazer o numero 2!

Mas, o que conta mesmo, é o preparo psicológico. Nada adanta a gente querer, mas não tá copm a cabeça prepara pra isso.

E por tudo isso que te contei, falo de boca cheia que meu parto foi um sonho. Não tenho trauma, pelo contrário, eu e emociono TODAS as vezes que lembro. Foi o dia mais emocionate da minha vida.

Meriene Zamprogno disse...

Aconteceu a mesma coisa comigo, fiz de tudo pra ter parto normal e no final das contas tive que ir pra faca por que ja estava na semana e ele nao nascia, mas sabe duma coisa? Não me arrependo, acho que a decisão que tomei foi correta por que meu filho veio saudável pros meus braços e em 3 dias recebemos alta, eu gostaria muito de ter tido PN, mas a segurança dele foi bem mais importa te que a minha vintade sabe, eu tive muito medo dele passar da hora de nascer e ter complicações, eu ja estava com 40 semanas, placenta grau 3, nao tinha mais por que ele ficar alí, vai que no outro dia ou sei lá, dias depois ele ficasse maduro demais, liberaria mecônio na barriga causando uma grave infecção ou morresse sufocado? Na proxima gravidez vou tentar PN, mas até onde eu sentir segurança e realmente for seguro, se nao der nao vou discutir, apesar de que acho que eles poderiam induzir parto né, tava fazendo um post sobre isso também =) minha historia é bem parecida com a sua =)

Thay disse...

Hum, entendo bem, comigo foi pelo mesmo caminho...
As vezes não gosto dessa atitude dos médicos de "você deve fazer uma cesárea", me pergunto "cadê a humanidade desses médicos?". Tudo em troca do "tempo" que eles ficarão no hospital... não acho certo nem justo, mas...
Me arrependo da cesárea por saber que eu poderia ter sido induzida a um PN, mas minha médica não quis... minha doutora foi um anjo, isso foi, mas ela bem poderia ter me ajudado a realizar o desejo de um PN.
O bom de tudo é que minha filha nasceu perfeita, agradeço a isso e desconsidero todos os empecilhos, rs.

Um beijo e espero que consiga...

Thais Bessa disse...

Jacque, mandei convite pro blog de novo!

Olha, não ache que os médicos do SUS não são cesaristas, porque esse que te atendeu no parto do Bryan é claramente cesarista. Como pode avaliar a não evolução na semana anterior a vc entrar em TP? E como dizer que em 1 horinha não evoluiu não vai evoluir e ter que fazer cesárea? Obviamente ele estava com pressa e queria ir pra casa logo. Lembra, eu não tinha NADA de dilatação, colo fechado, bebê alto até o dia em q entrei em TP. E aí Bebella nasceu com apenas 4 horas e meia.

Sobre a anestesia, não me tirou a sensibilidade, estive ciente e sentindo tudo. Mas tirou a dor. E olha, a dor, que eu não achei nada parecida com cólica, é realmente muito forte e por isso entramos na partolândia: uma sensação de que a gente está ali, mas não está, sabe? Foi a anestesia que me permitiu voltar à realidade, estar realmente presente e aproveitar o momento de verdade. Fiz epidural e farei de novo. :)

Ah, alguém falou sobre a força, eu fiz curso de preparação e a força não é igual de número 2 não. É difícil explicar escrevendo, mas é uma força que acompanha a respiração e focada na frente.

Bjos

Carol disse...

Jacke, sempre leio seu blog, mas nunca comento! rsrsrs enfim, chegou a hora! Eu acho que o primeiro passo para um PN é a mãe estar decidida a isso! A partir do momento que a mãe não está segura, abrem-se portas para médicos oportunistas....Você já está decidida desde a gravidez do Bryan e também, já passou por um nascimento, meio que já sabe o que vai acontecer, certo?
Tenha calma, mantenha-se firme na sua opinião e tenha certeza que você conseguirá!
Bjoks
Carol
www.meuparasita.com

Luigia Macena disse...

Isso mesmo Jack que venha com saúde e de maneira natural esse é o desejo de toda mãe né!
Mas não se sinta mal pela primeira ter sido cesárea, Deus sabe de todas as coisas!

Mil bjus!

Anônimo disse...

oi kack espero que vc consigua seu parto normal e que tudo ocorra dentro das normalidades para vc. na gravidez do meu 1 filho henrique eu queria muito o parto normal, nao para dizer de boc cheia que tive um, mais sim pela recuparaçao. entao chegou o dia minha bolsa estouro, começei a entrar em trabalho de parto sentia muitaaa dor eu achava que ele iria nascer rapidinho ne, pois e engano meu cheguei no hoapital com 1 cm de dilataçao e medica disse (particular) vc nao tem passagem vou fazer sua cessaria, respondie e fui firme que tentaria um parto normal,a parti dai fiquei no soro, por 7 horas esperando a minha tao querida dilataçao, engano meu pois ela nao veio depois e de 7 horas minha dilataçao continuava 1 cm, medico me avaliou e disse que teria que fazer uma cessaria pois a bolsa ja tinha estourado a tempo e meu bay esta desprotegido, e assim foi um parto lindo de CESSARIA do lado do homem da minha vida segurando minha maoo.
conclusao nao tenho mais esse sonho de pn, sei que terei um parto lindo independente das vias que ele escolher nascer, ficaria sim em tabalho de parto se eu chegasse no hospital com pelo menos de dilataçao.
bjos saude força
aline twiter

Juliana Marchioro disse...

Ando sumidinha aqui do seu cantinho né amiga, perdoa eu...
Tomara que dessa vez vc consiga se tão sonhado parto normal, tenha fé e se mantenha firme!

Beijinhos em vc´s 3 =)

Cynthia Rodrigues disse...

EU induzi o parto da Libi com 38 semanas, pois tinha dilatacao e nada de contracoes porem houve sofrimento fetal, os batimentos cardiacos dela dela cairam drasticamente e como nao voltava com os procedimentos vi a sala de parto cheia e a o anestesista pedindo que eu assinasse os papeis de autorizacao para cesaria, no fim devido a urgencia recebi anestesia geral e nem vi a Libi sujinha sair de dentro de mim; enfim meu medico ja disse que nao preciso necessariamente de cesaria porem sem chances de inducao do parto dessa vez entao o jeito e esperar que o filhote venha de PN sem inducao, assim eu espero que seja se nao fazer o que ne ir na faca de novo.

Mamãe pela 2ª vez disse...

Meu primeiro foi pelo SUS quis muito que fosse normal senti as contrações, minha bolsa rompeu e infelismente não tive dilatação suficiente e fui pra faca, como tive dores o dia todo, não segundo não tive coragem e fui logo pra faca, te adimro por tentar novamente e faço votos que consiga pois é um sonho.
bjus

Dayane disse...

Jacque, que coisa boa essa determinação. Quero muito daqui a pouco ler o relato do teu VBAC.
Eu tentei um parto sem anestesia, não por não querer perder a sensibilidade, mas por não querer os efeitos colaterais e riscos. Provavelmente eu conseguiria o parto sem anestesia, mas lá na hora você fica em um mundo paralelo, a partolandia mesmo. E tudo que voce quer é se ver livre, acabar com tudo e ir pra casa. Aguentei até 7 cm, eu estava ate dilantando rapido, mas quando voce esta envolvida nas contrações, não tem idéia nenhuma de tempo, tudo parece uma eternidade. Eu realmente não senti mais nada das contrações e até dormi. Na hora do expulsivo as enfermeira falavam quando vinha a contração pra eu fazer força. Senti uma pressão quando ela estava nascendo. Pra esse parto ainda não decidi se quero tentar sem anetesia novamente ou aceitar logo. Provavelmente vai ser do mesmo jeito, vou esperar pra ver ate onde aguento. Vai que eu aguento até que fique tarde demais pra ser anestesiada? Acabo tendo um parto natural sem querer-querendo. hehehe Mas se eu pedir a anestesia logo quero pedir uma dose mais fraca. Acho que seria o ideal.

Contando...

 

Blog Template by BloggerCandy.com