11 de julho de 2011

Maternidade, um universo paralelo.

Desde que me tornei mãe,percebi que meu mundo geralmente gira em torno de fraldas, papinhas, fraldas, mamadeira, fraldas, birra, fraldas, chupeta, fraldas e mais fraldas.É como se o título de mãe viesse com todo um histórico junto, como se fosse uma nova vida, como a coroação de uma rainha ou um rei, só que nesse caso a rainha (mãe) é quem irá servir aos súditos (filhos).
Existe todo um universo paralelo a vida real, e esse universo é a "maternidade". Mas esse universo paralelo só conhece quem vive, quem recebe o título de mãe.
Para muitos "seres normais" o universo da maternidade não passa de uma fantasia. Mas para nós "seres dotados do título especial" esse universo é real e cheio de suas particularidades.

Esse universo, só é compreendido única e exclusivamente por quem já foi ou quem é mãe.É como se as outras coisas do mundo se desligassem automaticamente, e tudo o que pensamos, sentimos e queremos dependesse única e exclusivamente de um ser: nosso filho.
Para você ter uma ideia do quanto a pessoa se desliga do mundo, eu só fui saber que ipad existia semana passada (plantinha desinformada), também não sei quem é o presidente da Lituânia, não sei cantar a nova música do Luan Santana, não sei qual o modelo mais novo de celular da motorola, só fui saber que Bin Laden estava morto por causa do twitter, não sei qual a roupa da moda, não sei quem ganhou o último big brother, não sei quem matou quem na novela. Mas eu sei o nome de todos os integrantes do Hi-5, sei qual legume é mais nutritivo, sei quantas calorias tem a maioria dos alimentos, sei o nome e a dosagem da maioria dos remédios que meu filho usa ou provavelmente irá usar (e isso não aprendi só na faculdade), sei o nome da maioria das doenças, sei todas as vacinas da caderneta de cabo a rabo, sei todas as musiquinhas de abertura dos desenhos, sei a data de cada dentinho que saiu, sei a data da primeira vez que ele andou, sei o peso e altura de cada mês de vida dele, sei qual a melhor comidinha que ele gosta, e sei também todas as comidas que ele detesta, sei trocar fralda no escuro, sei vesti-lo sem acordá-lo.

Nos últimos 14 meses meu universo tem sido a maternidade, eu leio folheio o jornal só por ler, e mesmo assim pulo todas as páginas e vou logo para as fofocas (confessei),não sei muito de economia, mas em compensação sei tudo do mundinho da maternidade, quando uma atriz fica grávida acho que eu fico sabendo até antes dela mesma.Sei o nome que elas escolhem, sei se foi cesárea ou parto normal, sei com quantos kilos e centimetros o novo bebê nasceu, e acho que vejo a foto antes mesmo dos familiares.É como se tudo o que você quisesse saber gerasse em torno da maternidade, como se só esse assunto tivesse um real interesse, uma espécie de: poxa, não sou a única no mundo que só pensa no filho!
Pelo twitter e blogs fico sabendo de TUDO, sei o que o filho da amiga blogueira come, se está dormindo bem, se está dodói, como vai a rotina.Mãe que é mãe se une, se abraça, na tristeza ou na alegria.Mães se entendem, se entrosam, ajudam uma a outra, e estão sempre dispostas a responder qualquer tipo de pergunta, qualquer dúvida, por mais cabeluda que seja (tipo analisar o cocô do filho alheio).Ao mesmo tempo que nos desligamos de tantas coisas, nos conectamos ainda mais a maternidade conhecendo outras mães.

O título de mãe vem com um pequeno efeito colateral: a amnésia. Esse título faz com que esqueçamos de como a vida era antes do bebê; como era ter um sono longo e interrupto por mais de 5h, como era comer em silêncio em um restaurante, como era ver uma série ou filme sem ter que dar pause, como era a vida sem o "caça a chupeta" ou "caça ao brinquedo preferido", como era ver a casa limpa por longas 24h, como era ter tudo no lugar, como era comer comida quente, como era comer sempre no mesmo horário, como era viver sem cheiro de cocô espalhado pelo ar, como era a vida sem discovery kids, como era ter a roupa de cama limpa por mais de 1 dia, como era sair sem se preocupar a que horas voltar, como era tomar um banho sem ter que sair toda ensaboada para socorrer o filho, como era a casa sem os gritos do filho, como era uma ida calma e tranquila ao shopping sem ter que fazer uma "maratona são silvestre" atrás do filho, como era a casa sem os brinquedos espalhados, como era comer algo sem o filho pedir.

O título de mãe também traz muita coisa boa e recompensas maravilhosas, traz sorrisos, gemidinhos, mãozinhas pequenas que agarram dedos, balbucios, trocas de olhares que emocionam, chorinho com lindos biquinhos, abraços, ouvir a palavra mamãe com frequência, e sempre se emocionar como se fosse a primeira vez, carinhos, sorrisos ao dormir, sorrisos ao acordar, ver seu coração batendo do lado de fora...
De uma coisa eu sei bem: eu amo fazer parte desse universo paralelo!!

bjo

11 comentários:

Alethéa disse...

Eu tb amo, MUITO!!!!!!!!!!

Abraços!

Bom demais ser mãe disse...

Que legal eu me vi neste post, só sendo mãe para entender tudo o que você escreveu!
Abraços Juliana Ferreira

*Rê* disse...

eu acho que so saberei mesmo como funciona o esquema de ser mae quando for mesmo.. pq antes ´tudo uma suposicao...... muito bom o post! beijinhos

Ju Silva Alves Marchioro disse...

É um universo totalmente diferente do universo que vivo hoje, mas eu não vejo a hora de poder fazer parte desse universo paralelo que você já faz parte...hahaha

Beijinhosss

Ana Claudia de Moura Becker disse...

Jacque, tb falo o seguinte quando me perguntam se estou gostando de ser mãe e o q mudou: digo q amoooo e q é viver um outro universo, outro mundo q antes não fazia idéia q existia pq só passando a ser mãe para entender! Incrível toda essa mudança. Meu foco tb mudou pacas, mas não adianta, por mais q eu tenha vontade de ver, ler outra coisa, sempre os assuntos de maternidade vencem e os leio primeiro, claro...cuidar bem do Erikinho, né.
bjaoooo

Monize disse...

Não sei dizer como é ser mãe (pois ainda não sou), mas sei muito bem dizer o que é ter uma mãe e uma familia carinhosa e que se preocupam com a gente. Um dia os filhos reconhecem, pode demorar, mas reconhecem.
beeijo

http://2charming.com.br

Meriellen disse...

Ai amiga parece que você me descreveu aí, eu morri de ri com a parte das atrizes gravidas, pois meu marido fala que do jeito que eu falo parece até que eu as conheço pessoalmente...kkk
mais eu amo muito tb esse nosso universo das mamães!! é maravilhoso!! bjos

Renata disse...

Que post lindo!! traduziu muito bem nossa vida! Bjo

Cyy disse...

ameeei o post, td vdd! eu tbm amo MUITOOOO fzer parte desse universo =]
bjuuu

sou mãe, e agora??? disse...

Muito verdadeiro seu post. Quem diria que até um cocô de cor suspeita (e que não se trata do nosso) nos faria ficar tanto tempo pesquisando na net e que até anotamos pra perguntar ao médico...
Mas to igual a propaganda do mac donald's:
AMO MUITO TUDO ISSO!!!

Ananda Etges disse...

O Twitter salva! Eu só sei as notícias pelo título e só pq leio no Twitter mesmo. Ah, e de vez em quando dá pra pegar um pedacinho do Jornal Nacional, mas com interrupções, é óbvio!

Beijos, Ananda.

http://projetodemae.wordpress.com/

Contando...

 

Blog Template by BloggerCandy.com