7 de julho de 2011

Vale uma palmadinha?

Apanhei algumas vezes na minha infância. Na maioria das vezes pela minha mãe.Meu pai só me deu uma surra, e foi inesquecivel. A única coisa que me lembro quando apanhava, é que achava minha mãe a pior pessoa do mundo, eu tinha raiva dela, e desejava que ela tivesse um treco para nunca mais me bater (isso eu contei pra ela recentemente).Já meu esposo apanhou muito.De toalha, chinelo, vara, por várias pessoas que cuidaram dele (pois a mãe dele trabalhava).
As únicas coisas que eu tinha certeza sobre a criação do meu filho, antes mesmo de planejar ter um, seria que eu jamais iria usar o tapa como recurso, nem em último caso, e que jamais gritaria com ele.

Claro que depois da maternidade muita coisa muda. A opinião sobre algumas coisas (cama compartilhada, oferecer certos tipos de alimento,etc) mudaram, mas uma coisa que nunca mudou foi o meu repúdio ao tapinha.
Certa vez um tópico em um forúm me chamou atenção. Nele a mãe relatava, que era a pior mãe do mundo. Que o pai da criança (uma bebê de 6 meses) havia deixado a casa e não ajudava com as coisas básicas para a criação da menina.Foi quando a menina começou a chorar e a mãe deu tapinhas nela, porque estava em "estado de nervos". Eu e muitas amigas blogueiras que conheci aqui, mostramos o nosso repúdio a esse método, só que muitas outras meninas passavam a "mão na cabeça" dizendo que é assim mesmo, que acontece, que não deve ter doído, que se ela pediu desculpas depois tudo bem.
E após termos falado que não achamos certo e que independente do motivo, nada justifica uma palmadinha, muitas meninas foram chamadas de "dondocas", "riquinhas", e as mães acusavam que elas eram as "senhoras perfeitas" e que a vida delas era boa, devia ter empregada e por isso não tinha aborrecimento e estresse.

Mesmo sendo rica, ou tendo toda ajuda desse mundo, todo mundo passa por um estresse ou outro. Ninguém é perfeito por causa da posição social, status ou dinheiro.
Eu já passei muito estresse, já fiquei nervosa, já senti raiva, mas nem por isso bato no meu filho. Tenho problemas como qualquer pessoa tem, mas jamais teria coragem de encostar um dedo na hora da fúria no meu filho.
Certa vez minha sogra contou que deu uma surra de toalha molhada no Bruno, até ele ficar cheio de hematomas e chorando de soluçar.Depois ela ficou com pena e chorou junto pedindo desculpas.
A maioria das mães que batem nos filhos, se sentem culpadas por fazê-lo.Eu sempre penso que, se vou fazer algo para me arrepender depois, é melhor nem fazer.
Bryan apronta muito,como a maioria das crianças, ele já fez muita bagunça, já quebrou coisas dentro de casa, já mexeu onde não devia, já ficou nervoso por uma ordem que eu dei e ele não quis acatar, mas eu nunca levantei a voz ou bati nele.

Acho que violência gera violência, se sem bater nele, as vezes ele fica nervoso e me dá um tapa, imagina se eu batesse?
Não precisa ser rica pra saber que não vale a pena bater, e sim, é crime contra a criança e a sua consciência.Não precisa ter ajudante, estudos, falar inglês ou hebraico pra saber que não se desconta ira ou raiva por outras coisas em uma criança inocente. A mãe que fez aquele infeliz desabafo, queria que outras mães pudessem "passar a mão na cabeça dela", dizer que aquilo acontecia, que não ia se repetir e por isso ela não era o monstro que achava ser.Mas ela encontrou outras mães que não concordaram com sua atitude e se achou no direito de julgar.

Não vale bater no meu filho, pra depois ir correndo pedir desculpas que ele não irá entender.Palmadinha não educa, e quem disse que um tapinha não dói? dói sim! Será que a mãe que bate gostaria de levar um tapinha por ter feito algo errado? Eu nunca gostei, não gostaria e jamais vou usar este método com o Bryan.
E seguimos assim: 14 meses na lei seca contra a palmadinha.

bjos

14 comentários:

Giulia a bordo disse...

AMEI o post! Concordo plenamente que depois que o bebê nasce a gente muda de opinião a respeito de algumas ''teorias''. Mas uma coisa não mudei, exatamente como você, não quero gritar com a Giulia ou dar palmadas. Palmada não educa, machuca!
Bjão

Áries disse...

É isso aí Jac nada de palmadas ou gritos.
Eu já apanhei tanto na vida e sei o quanto dói, não quero isso p/ minha filha por isso prefiro eu mesma cuidar dela 24 horas por dia pois ninguém tem a paciência que uma mãe tem, mesmo na hora da raiva a gente respira fundo e conta até 10, já outra pessoa sei lá do que é capaz.
Bjos amiga e assino em baixo.

Lu,mamãe do Deko e da Leka disse...

Não vou se hipocrita falar que nunca bati e que não grito com meus filho grito sim,bater foram 3palmadas todas as vezes me arrependi mas na hora perdi a cabeça,expliquei que era perigoso ele nao ouviu antes dele se machucar de verdade dei uma palmada e pronto nunca mais fez,todas as vezes foram por motivos de segurança que ele nao me ouvia se falar e castigo nao adiantou dei uma palmada na bunda,mas no geral uso da conversa castigo e tirar as coisas que mais gosta quase sempre resolve,ah tbm puxo a orelha dele tbm as vezes, certo? sei que não é mas prefiro fazer eu isso hj do que amanha ele estar apanhando da vida para aprender!Sei que serei julgada e condenada por essa confissao mas nao to ligando muito já que nenhuma mae pode julgar sobre isso ninguem sabe se no dia de amanha tbm nao vai perder a paciencia e talvez faça algo ate pior,até a mãe mais pacienciosa um dia perde a cabeça e dá um grito com eles(minha opinião) Beijinhos

Edna Fernandes disse...

Apanhei um monte na minha infância e muitas vezes sem motivos, sou contra quem fica batendo em criança a troco de nada, ninguém aprende levando pancada.
Meu sobrinho tb não come arroz, ele adora tudo e tem que ser caroço se amaçar ele não quer kkkkkkk

Thais Bessa disse...

Ta de parabens, Jacque. Educar nao eh facil e violencia (nem um tapinha) nao eh recurso, nunca. E eu me lembro a polemica no forum, foi o que fez que eu e outras saissem de la, porque nao da pra conviver com pessoas que pensavam daquele jeito, mas nem virtualmente.

Culpa todos nos sentimos, afinal ser mae eh ter mil e uma culpinhas. Mas essas sao culpinhas. Se a mae sente culpa por ter feito algo que realmente a corroi e a faz chorar tanto, fica a dica: eh porque fez sim, algo errado, nao eh so "paranoia" de mae. Pra que fazer algo com o filho pra depois ficarem os 2 chorando? Coisa de louco!

Bjos

Alethéa disse...

Vc está certíssima. Não faço com meu filho o que eu não gosto que façam comigo. Eu lembro muito bem o que sentia quando apanhava e não quero que meu filho sinta isso nunca. Vi este caso desta mãe que vc citou e tb acho que nada justifica bater, ainda mais em um bebê de 6 meses.

Abraços!!

Giulia a bordo disse...

Olá lindona! Coloquei o link do seu blog lá no Giuliabordo, ok?! Se tiver algum problema me fala que eu tiro. Quando puder de uma passadinha lá para conferir ;)

o link: http://giuliabordo.blogspot.com/2011/07/links-da-semana.html

Um beijão, e uma sexta maravilhosa!!
Lú e Jujuba

Mirian Franco disse...

Oi querida.
Eu uso a camera modelo HX1 da SONY.
EU gosto muito dela, faz fotos excelentes com um ambiente bem iluminado. So peca na hora de fotos feitas em lugares com pouca luz. Mas se vc tiver um pouco de conhecimento em fotografia, isso nem é um problema.
Os modelos que eu conheço e poderia te indicar são cameras mais profissionais e passam do valor de 2,500. Mas se quiser saber mande um email, mirianmartinsfranco@yahoo.com.br
As cameras canon em geral sao muito boas.
qualquer coisa pode falar.
bjokas
Mirian

Thais disse...

Muito bom esse post. Concordo em tudo com você, e sim, eu também apanhei bastante quando era criança.

*Rê* disse...

Olha jac, vc abordou um assunto que eu nunca parei pra pensar! nao sei nem oque te responder... nessa a pratica fala mais alto..kkkk um beijo

Luly disse...

BAH AMIGA,
EU APANHEI TANTO DA MINHA MAE...
Eu sempre digo, se eu falar, falar, falar e a Rafa nao obedecer, eu vou dar palmada SIM!
Mas lendo seu post,chego a ficar pensando se realmente vale a pena...
Tbm odiava minha mae quando batia em mim, e sempre dizia q queria ir pro ceu com meu bisavò pra ela nao me bater mais, ai q ela caia no choro neh? me pedindo perdao, e eu sempre rebelde dizia, q pra q ela chorava, se voltava a mae bater, mas surra hein! nao era tapinha,nem palmada era surra!
quem me defendia era minha vò e meu pai q me tirava de perto dela, e levava pro trabalho dele, e chamava ela de louca bruta.

Jamais irei dar uma surra na minha filha...mas colocar de castigo, com certeza.

Dea, a mamae da Nina disse...

so posso me indignar....Vc ta super certa.
Sabe q vejo ´por ai, seguidoras e na verdade sao puxa sacos e concordam c tudo q leem.
Li num blog outro dia q a mae tem sim o direito de nao amamentar, entao sem preciso dizer mais nada amiga.
Domando sua ferinha cai como luva p gente como nós pq em maos erradas achoq viraria fogueira.
Bjs bjs bjs

Dea, a mamae da Nina disse...

ah e nesse blog q li isso embaixo tinha mais de 16 comentarios aprovando a aberraçao.
E so o meu discordando, pra variar!!!
Bjkssssssssssss

Keka disse...

Adorei o post amiga mas há uma diferença muito grande entre palmada e surra concorda?

Contando...

 

Blog Template by BloggerCandy.com